Regulamento 2018



SEMANA DE CANTO DA ADL
SOLI DEO GLORIA

31de maio até 03 de junho – 2018

REGULAMENTO

            A Associação Diacônica Luterana – ADL, em parceria com o Sínodo Espírito Santo a Belém e Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - IECLB, está possibilitando a realização de mais uma edição da Semana de Canto, cujo objetivo é ser um espaço de aprendizagem musical, partilha de experiências, reflexão e produção de conhecimento. Oferecendo assim contribuições para a atuação das lideranças nas Comunidades da IECLB, através de oficinas, palestras, e demais atividades.

            A cada edição da Semana de Canto pensamos uma programação que venha ao encontro, em especial, de jovens lideranças na área da Música que desejam aprimorar suas práticas e ampliar suas possibilidades de atuação nas comunidades, e demais grupos existentes na sociedade de forma geral, contribuindo assim para a formação cultural e artística na educação de crianças, jovens e adultos. Apesar de esperarmos um público mais específico, todas as faixas etárias estão convidadas para compartilhar suas vivências musicais. Não só queremos contribuir como desejamos saber o que cada um e cada uma vêm construindo em sua caminhada nas Comunidades. Desejamos que todos e todas se sintam integrados/as, e que possam participar efetivamente de toda a PROGRAMAÇÃO.

  Para que os objetivos sejam alcançados desejamos trabalhar com pessoas cooperadoras, dinâmicas, dispostas e criativas, de forma que os resultados obtidos sejam multiplicados nas Paróquias e em seus locais de atuação.



1. INFORMAÇÕES PRÉVIAS:
1.1. Este evento é promovido pela Associação Diacônica Luterana – ADL, com apoio da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, do Sínodo Espírito Santo a Belém, da União Paroquial Guandu.
1.2. Antes de se inscrever o candidato deverá tomar conhecimento das normas e condições estabelecidas neste regulamento, das quais, não poderá alegar desconhecimento em nenhuma hipótese, pois com a inscrição efetuada entendemos que o participante concorda plena e integralmente com as regras e informações que orientam este evento.
1.3. As inscrições para a Semana de Canto serão realizadas pelo Blog da Semana de Canto. http://semanadecanto.blogspot.com/.
1.4. Todas as informações sobre o evento e a ficha de inscrição estão disponibilizadas no blog da Semana de Canto http://semanadecanto.blogspot.com/.

2. PÚBLICO-ALVO:
2.1. A Semana de Canto conta com a presença de regentes, professores/as de música, instrumentistas, líderes e participantes de grupos de canto e estudantes de música, ministros ordenados ou não de nossas Comunidades, além de membros de outras denominações religiosas e demais pessoas que consideram importante levar o conhecimento e o material aqui ofertado. O encontro busca oferecer uma programação diversificada, com oficinas e momentos de reflexão orientados pelo tema do evento. Enfatizamos o quanto é importante para nós contarmos com a sua presença.  
2.2. Haverá uma restrição quanto à idade dos participantes e as oficinas. Observe no item 3 qual a idade mínima para cada oficina. Só poderão participar das oficinas A e B pessoas que já completaram 14 anos de idade esse ano; menores de 14 anos deverão se inscrever unicamente na oficina “Coral Infanto-Juvenil”.

2.3. Cada paróquia deverá dispor de uma pessoa responsável para o grupo de crianças e adolescentes menores de 18 anos da respectiva paróquia.


3. OFICINAS E SEUS REQUISITOS PARA PARTICIPAÇÃO:
3.1. Na Semana de Canto 2018 as oficinas serão divididas em dois grupos (A e B) e os/as participantes poderão escolher até duas oficinas (uma de cada grupo), pois acontecem em horários diferentes:

OFICINAS DO GRUPO A

1.  Piano/Teclado- Charles K. Neimog
Sobre o oficineiro: Formado pela ADL em 2014, Aluno do 4° de Composição e Regência da UNESPAR – Campus I (EMBAP), estudante de piano na Classe do professor Dr. Carlos Yansen, de Composição da classe do Prof. Dr. Felipe de Almeida Ribeiro e de Regência da Classe do professor Mr. Marcio Steurnagel, é membro do Núcleo de pesquisa Música Nova tendo interesse na música do Séc. XXI e maneiras alternativas de afinar os instrumentos musicais, além de como usar a computação para performance nesses sentidos.
Profissionalmente sou músico da paróquia Castelo Forte e professor da FLAS – CEI Bom Samaritano. Na igreja sempre busco renovar as formas de tocar os hinos do HPD I e II e agora o Soli Dei Gloria. 

Sobre a oficina: Buscaremos abordar assuntos de piano. Daremos ênfase à ritmos mais comuns dentro da prática instrumental da IECLB e de modo geral piano popular. Este ano abordaremos algumas formas diferentes de colocar acordes nas músicas dos HPD’s  e Soli Dei Gloria e como o piano pode facilitar isso. 

Número de vagas máximo: 10

Pré-requisitos para a oficina (o que o aluno precisa saber e o que precisa trazer): Entender um pouco do instrumento. Trazer piano/teclado, Adaptador P2 P10 (quem tiver),fone de ouvido e extensão.


2. Violão- Júlio César Berger 


Sobre o Oficineiro: Pós-graduando em Violão (solista e acompanhador) pela Alpha Cursos (2017). Graduado em Licenciatura em Música pela Universidade Federal do Espírito Santo (2014). É professor e coordenador do projeto “Orquestra de Violões nas Escolas Públicas Municipais”, na rede municipal de educação de Santa Maria de Jetibá, professor integrado à HB Escola de Música (no mesmo município) e violonista do grupo Musical Salut. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação Musical.

Sobre a Oficina: A oficina terá como ponto de partida orientações e conceitualizações coletivas, sendo organizada em formato camerístico/orquestral.
É importante salientar que cada conceito assimilado apenas terá sua acomodação através da prática, muitas vezes percorrendo o caminho inverso.
Fundamentações essenciais envolvendo um apanhado histórico do instrumento, postura, mãos direita/esquerda e funcionamento dessa conjuntura serão estabelecidas num primeiro momento para que então sejam esmiuçados pontos referentes às notações alfabética (cifra), a tablatura (notação numérica) e a notação tradicional (partitura); esta última sob um ponto de vista mais essencialista em virtude de sua maior complexidade no que tange ao grau de informações necessárias para seu entendimento pleno quando comparada aos outros dois canais de registro/leitura e comunicação.
Progressivamente, os pontos conceituais serão aplicados em repertório litúrgico pré-definido de maneira coletiva, envolvendo um perfil camerístico/orquestral.

Número de vagas máximo: 30

Requisitos
·        Idade mínima para participação – 14 anos.
·        Tempo mínimo de contato (formal ou informal) com o instrumento – 12 meses.
·        Estante de partitura.
·        Banquinho de apoio para perna esquerda ou suporte ergonômico para o violão.
·        Violão (preferencialmente encordoamento de nylon).
·        Caneta, lápis e borracha destinados a possíveis e breves anotações.
·        Acessórios opcionais pertinentes à oficina (capotraste; afinador; metrônomo).
·        Compreender superficialmente dois dos três canais de registro/leitura:
a)   Cifras – Notação alfabética
b)   Tablatura – Notação numérica

c)   Partitura – Notação tradicional


3. Canto- Natalia Hubner

Sobre a oficineira: Cantora lírica graduada e pós graduada em canto e expressão, especialista na performance vocal lírica e práticas interpretativas.


Sobre a oficina: Objetivo principal de trabalhar técnicas respiratórias e vocais voltada para o canto coral e também solistas.

Número de vagas máximo: 40

Pré-requisitos para a oficina 
O aluno precisa levar um bloco de anotações e uma garrafinha com água.

4. Percussão para o canto comunitário- Louis Marcelo Illenseer

Sobre o oficineiro: Catequista da IECLB, maestro de coros e grupos instrumentais na Universidade Feevale e mestrando em Teologia na Faculdades EST. Coordena o grande Coro da Semana de Canto desde 2013.

Sobre a oficina: A Oficina de Prática de percussão quer promover práticas de percussão, valorizando aspectos de altura, ritmo, timbre e intensidade nos instrumentos percussivos. Avaliaremos o uso da percussão nas práticas litúrgicas das igrejas e como adequar os instrumentos de percussão à instrumentos melódicos e harmônicos. Faremos práticas percussivas de diversos ritmos brasileiros, buscando fazer os e as participantes terem um primeiro contato com notação musical para percussão. 

Números de Vagas: 30

Pré-requisitos: Deve trazer uma estante e algum instrumento de percussão. A ADL proporcionará alguns instrumentos para a prática, mas é desejável que cada participantes traga um ou mais instrumentos como: bongô, Cajon, ovinhos, triângulo, reco-reco, tambores, tumbadoras, etc. 

5. Música, Movimento e Expressão- Camila Binow

Sobre o oficineira: Bailarina, formada em Qualificação Profissional em Dança Contemporânea pela Escola de Teatro Dança e Musica do Espírito Santo - FAFI (Vitoria).  Atualmente aluna do Reverence Studio de Dança, seguindo com as aulas de Ballet Clássico.  

Sobre a oficina: A Dança Contemporânea permite sair do repertório e expressar com movimento o que se sente, uma proposta de investigação e autoconhecimento que ponderam o desenvolvimento do ser humano.
Com bases nas técnicas da Dança Contemporânea, vamos explorar e descobrir a arte do movimentar-se. 

Números de Vagas: 25

Pré-requisitos: Roupas confortáveis para prática da oficina e um par de meias. 





OFICINAS GRUPO B


1.  Liturgia e Música- Sissi Georg
Sobre a oficineira: Diácona da IECLB, graduada em Música pela Universidade de Passo Fundo/RS, mestre e doutora em Teologia, na área da teologia prática, mais especificamente em Liturgia e Diaconia.

Sobre a oficina: A oficina visa promover conhecimento teórico, litúrgico e vivencial sobre essa forma de culto, denominada Culto de Tomé. Com base nesse conhecimento, o grupo de participantes desta oficina será a equipe de liturgia que celebrará o Culto de Tomé na sexta feira de noite com todos os e as participantes da Semana de Canto /2018.

Número de vagas máximo: 15
         

  1. 2. Ensaios para o Livro de Canto da IECLB- Charles K. Neimog
Sobre o oficineiro: Formado pela ADL em 2014, Aluno do 4° de Composição e Regência da UNESPAR – Campus I (EMBAP), estudante de piano na Classe do professor Dr. Carlos Yansen, de Composição da classe do Prof. Dr. Felipe de Almeida Ribeiro e de Regência da Classe do professor Mr. Marcio Steurnagel, é membro do Núcleo de pesquisa Música Nova tendo interesse na música do Séc. XXI e maneiras alternativas de afinar os instrumentos musicais, além de como usar a computação para performance nesses sentidos.
Profissionalmente sou músico da paróquia Castelo Forte e professor da FLAS – CEI Bom Samaritano. Na igreja sempre busco renovar as formas de tocar os hinos do HPD I e II e agora o Soli Dei Gloria.

Sobre a oficina: Nesta oficina falaremos de algumas possibilidades de tocar as músicas dos HPD’s e Soli Dei Gloria assim como aprender músicas novas principalmente do último, de forma que a música possa ajudar a fazer, cada vez mais, um culto mais interessante musicalmente, ajudando a espiritualidade dos membros e a nossa também. 

Número de vagas máximo: 12

Pré-requisitos: HDP’s I e II. Instrumento musical (violão, teclado/piano, acordeon, whatever!), vontade de aprender algo novo, Caderno pautado ou não, lápis e borracha. (Vamos escrever nos HPD’s). 

     3.  “Bem-Viver”- Gilmar Hollunder.

Sobre o oficineiro:  Formado em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Estadual de Mato Grosso, pós graduado em “Educação, Diversidade e Culturas Indígenas” pela Faculdades EST. Trabalha com iniciativas em Saúde Popular e Agroecologia na ADL.


Sobre a oficinaPara o teólogo Católico defensor da Teologia da Libertação PAULO SUESS:
Priorizar a vida e os direitos cósmicos
Viver Bem significa buscar a vivência em comunidade, onde todos os integrantes se preocupam com todos. O mais importante não é o ser humano nem o dinheiro, mas a vida com mais simplicidade possível. Viver bem significa dar prioridade aos direitos cósmicos antes que aos Direitos Humanos. É mais importante falar sobre os direitos da Mãe Terra do que falar sobre os direitos humanos.        

         O conceito andino de bem-viver (Sumak Kawsay) é a melhor expressão do projeto divino. Com base na abordagem teórica a oficina quer propor momentos de vivência que proporcione a interação com os espaços possíveis de perceber a prática do “Bem-viver” entre os participantes e que possa ser uma possibilidade de atividades que venham a contribuir com a dinâmica e cultura da paz nas comunidades.
         . Sobre os povos tradicionais na região serrana local, afirma Ido Port:
Não temos registros (oficial), da existência de aldeias indígenas nestes altos, possivelmente os aimorés. Tudo indica que era uma área que servia mais como reserva, tanto para pesca como para a caça....os nativos sabiam inteligentemente guardar e preservar áreas, que lhes proviam os alimentos e facilitavam a tranquila a tranquila reprodução de modo que a caça e a pesca nunca lhes faltava. (Port, 2004, p.10)

         É importante, em nosso dia a dia ter consciência que a nossa cultura, mesmo sendo de origem europeia ocupou terras que anteriormente eram habitadas povos originários. Nosso “Bem-viver”, para tanto deve ser pautado numa prática que respeito o outro e a outra, na partilha, no respeito a terra como cenário ancestral sagrado.

Atividades a serem desenvolvidas:
1. Desenvolvendo conceito e conversa sobre o “Bem-Viver” (Sumak Kawsay) dos povos tradicionais;
2. Caminhada ecológica na mata para observação, coleta e “meditação da árvore”, conhecer o espaço “Casa Comum”;
3.      Arte terapia: produção de filtro dos sonhos, “anel de tucum”, desenho com argila, partilha de alimentos tradicionais.
4.      Meditação e yoga 

        
Número de vagas máximo: 25

Pré-requisitos: roupas confortáveis para movimento e alongamento; se tiver em casa ou querer adquirir, tapete para yoga ou pilats, esteira de palha ou uma manta que proporcione conforto; travesseiro pequeno para apoio; se tiver, ouvir e trazer música clássica, música taizé, música céltica, música indiana ou outro gênero que proporcione relaxamento.


4. Musicalização- Keuli Holfman Berger

Sobre a oficineira:  Pós graduada em Artes e Gestão Educacional pela Universidade Metropolitana de Santos ( UNIMES). Graduada em Licenciatura em Música pela Faculdade de Música do Espírito Santo (FAMES) e Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES). Graduada em Pedagogia pela (FARESE). Cursou Música Sacra pela Faculdade Superior de Teologia (EST) no RS .Foi professora de música na rede municipal de educação de Santa Maria de Jetibá por 14 anos . Foi professora de música pela IECLB na comunidade centro de Santa Maria de Jetibá por 5 anos. Atuou como Pedagoga da Educação Infantil pela PMSMJ por 3 anos. Recentemente atuou por 2 anos como professora de Arte pela rede estadual de ensino. Já coordenou e ministrou diversos cursos na área da educação musical. Participou de vários cursos de formação musical, seminários, encontros.


Sobre a oficina: A oficina de musicalização será realizada por meio da ação de jogos musicais, trilhas sonoras musicadas, canto, rítmica coletiva, tocando instrumentos percussivos e melódicos. Muita brincadeira musical e diversão. 

Número de vagas máximo: 35

Pré-requisitos:
Roupas confortáveis

5.  Prática de Conjunto Instrumental- Louis Marcelo Illenseer

Sobre o oficineiro: Catequista da IECLB, maestro de coros e grupos instrumentais na Universidade Feevale e mestrando em Teologia na Faculdades EST. Coordena o grande Coro da Semana de Canto desde 2013.

Sobre a oficinaA Oficina de Prática de Conjunto Instrumental, como o nome diz, oferece um momento de prática em conjunto, onde pessoas que já toquem algum instrumento podem participar, independente do instrumento musical. Nesta oficina serão trabalhados aspectos de ensaio de grupo, afinação de instrumento, equilíbrio de intensidade, entre outros aspectos. 

Número de vagas máximo: 30

Pré-requisitos: Deve trazer uma estante e seu instrumento musical: sopro (trompete, trombone, tuba, eufônio, clarinete, sax, flauta, flauta doce, etc), cordas (violino, violão, violoncelo, etc). 
OBS: Há apenas uma vaga para contrabaixo elétrico, e no máximo duas tubas. 



Coro Infanto-juvenil- Vinícius Ponath
A oficina "Coral Infanto-Juvenil" valoriza o canto coletivo, promove integração e desenvolve habilidades musicais por meio de muitas brincadeiras, atividades com o corpo e com instrumentos. Essa oficina possui uma programação diferenciada, acontece paralelo aos outros grupos de oficinas e em tempo integral conforme programação oficial. Criaremos um espaço de vivência musical para nossas futuras lideranças, com atividades lúdicas, muita música e um repertório que será apresentado na noite cultural e no culto de encerramento. A oficina também permite a participação de até 6 (seis) lideranças que atuam com crianças e adolescentes e têm o interesse de vivenciar o universo da prática coral infanto-juvenil e suas possibilidades de realização. Essas lideranças podem participar como ouvintes ou auxiliar ativamente conforme combinado com o oficineiro.

Sobre o oficineiro: Educador licenciado em Música pela UFES, participou do curso de extensão em Música Sacra pelo ISEI - Ivoti (RS) em 2011 e participou de workshops e cursos temporários ofertados em nível nacional, na área de educação musical, musicalização, regência coral, fonoaudiologia e técnica vocal. Coordenou e assessorou diversos eventos de formação musical enquanto Coordenador do Conselho de Música do Sínodo Espírito Santo a Belém (2006 - 2010). Atualmente é regente do Coral do Convento da Penha e assessor de música do Sínodo Espírito Santo a Belém. 

Número de vagas: 40

Pré-requesitos: Crianças a partir de 7 anos até 14 (15 ou 16 só se for alguma liderança de culto infantil ou ensino confirmatório que faz questão de vivenciar a oficina para depois aplicar na sua comunidade).



Ambulatório-Yhara Chagas Broedel 



4. ATIVIDADES COMPLEMENTARES:
4.1. Além das atividades relacionadas à temática do evento, vamos oferecer outras propostas de caráter lúdico e de entretenimento.
  • Show de Quinta – oferecido na quinta-feira à noite, neste ano teremos a apresentação do Grupo Fé Luterana, de Vila Velha.
  • Culto de Tomé.
  • Noite Dançante – queremos que seja um espaço informal com música ao vivo e cantina, para promover uma maior interação entre os/as participantes. 
Ambulatório-Yhara Chagas Broedel 


Trata-se de pequenos atendimentos Fisioterapêuticos e Orientais visando o bem-estar e relaxamento físico e mental dos participantes, proporcionando um ambiente mais saudável em sua totalidade. No ambulatório será feio uso das técnicas com guashaterapia, ventosaterapia, terapia manual e auriculoterapia.

Yhara Chagas Broedel é Estudante do último ano de Fisioterapia do Centro Universitário de Vitória (UCV). Com formação em guashaterapia, ventosaterapia, Pilates, auriculoterapia e monitora nos projetos de extensão “Intervenção Precoce em Recém-nascidos Prematuros” e “Intervenção Precoce nos recém-nascidos com Síndrome de Down” promovidos pelo Curso de Graduação em Fisioterapia da Universidade de Vila Velha.

5. MATERIAL
5.1. Todas as oficinas fizeram suas solicitações quanto ao material que os interessados deverão trazer. Favor ler atentamente os requisitos para que seu aproveitamento não seja comprometido.
5.2. Todos os objetos de estudo, instrumentos, e de uso pessoal deverão estar devidamente identificados com o nome completo, a fim de evitar a perda dos mesmos. Recomendamos que tragam malas com cadeados ou outra forma de segurança eficaz.
5.3. A equipe organizadora não se responsabiliza pelos instrumentos e materiais das pessoas participantes inscritas.


6. ENSAIO GERAL:
6.1. A participação nos ensaios gerais do "Grande Coral" é obrigatória para todos/as os/as participantes inscritos/as.
6.2. Todas as pessoas inscritas receberão uma pasta contendo material informativo sobre o evento, programa com os horários e partituras de músicas que serão trabalhadas por todas nos ensaios gerais, formando, assim, o “Coral da Semana de Canto” que participará da celebração de encerramento, no domingo, na comunidade de Itaguaçú, Paróquia de Palmeira de Santa Joana.
6.3. O “Coral Infanto-Juvenil” também deverá participar do ensaio geral.
6.4. Como regente convidado para coordenar o “Coral da Semana de Canto” teremos o Maestro Louis Marcelo Illenser.

7. PROGRAMAÇÃO
7.1. A programação detalhada do evento está disponibilizada no endereço eletrônico http://semanadecanto.blogspot.com/.

7.2. Os horários das demais atividades irão obedecer à programação que será entregue junto com a pasta de material, no ato da inscrição, e que deverão ser rigorosamente respeitados pelas pessoas participantes inscritos. Caso não haja o cumprimento dos termos, causando assim transtornos na condução do evento, o participante será convidado a se retirar antes que o evento se encerre ou terá a inscrição rejeitada na edição do próximo ano, caso queira retornar.


8. ALOJAMENTOS:
8.1. As pessoas participantes devidamente inscritas na Semana de Canto terão direito a alojamento com café da manhã, almoço, café da tarde e janta, seguindo os horários previstos na programação.
8.2. Os alojamentos estarão à disposição das pessoas participantes inscritas a partir das 7h30min do dia 31/05 até às 7h30min do dia 03/06.
8.3. As pessoas participantes não poderão permanecer nos alojamentos nos horários dos ensaios gerais e palestras em que se faz obrigatória a presença de todas as pessoas participantes.
8.4. A partir das 24h deverá ser mantido silêncio total no espaço do evento e todos os inscritos devem estar no seu devido alojamento.
8.5. É expressamente proibido o uso de bebida alcoólica, fumo, produtos tóxicos, qualquer droga ilícita ou material que ofereça perigo as pessoas participantes do evento no alojamento e nas dependências da instituição.
8.6. Durante a noite ou em horários livres os/as participantes devem informar a alguém da coordenação de plantão ou aos responsáveis nos grupos paroquiais que desejam sair por quaisquer motivos para fora da instituição, ao redor da cidade. E menores de idade não devem sair desacompanhados, mas em grupos maiores que também devem informar sobre sua saída.
8.7. Quaisquer alterações no programa ou exceções só serão permitidas com a autorização da coordenação do evento.
8.8. A inobservância destas normas poderá acarretar na exclusão do/da participante do evento.
8.9. As pessoas participantes que causarem danos aos alojamentos ou às dependências da instituição assumirão as responsabilidades devidas sobre o ato, assim como também as que não contribuírem para o bom desenvolvimento do evento terão seus nomes comunicados para a Paróquia de origem e poderão retornar antecipadamente.
8.10. As pessoas participantes que ficarem nos alojamentos deverão trazer toalha, roupa de cama e cobertor. Os objetos de uso pessoal devem estar devidamente identificados.
8.11. As pessoas participantes que não quiserem ficar nos alojamentos e optarem por outra forma de hospedagem devem tratar diretamente com o local escolhido, não tendo a equipe organizadora nenhuma responsabilidade.
10. CERTIFICADO:
10.1. Terão direito ao certificado de participação as pessoas que se inscreverem dentro do prazo estabelecido no item 9.2 e tiverem 100% de presença nas atividades do evento. Listas de presença estarão sendo utilizadas durante o evento para o controle.

11. INSCRIÇÕES

11.1.  As inscrições deverão ser realizadas até o dia 23 de maio, apenas por esse blog.

11.2. O valor da inscrição será de R$ 120,00 por pessoa, com direito à hospedagem, alimentação, camiseta, caneca, material e certificado.
11.3. No ato da inscrição será gerado um boleto no valor referente a 50% do valor total (R$60,00) com prazo de 3 dias para o pagamento. A inscrição só será confirmada após a pagamento. Caso o/a participante preferir também poderá ser pago com cartão de crédito. 



12. INFORMAÇÕES FINAIS:

12.1. A divulgação deste regulamento é de competência da equipe organizadora da Semana de Canto.
12.2. As pessoas participantes poderão obter informações gerais referentes ao evento através do endereço eletrônico http://semanadecanto.blogspot.com/, por meio do telefone da secretaria da ADL – 0(xx)27 3735-7060 ou pelo e-mail do evento – semanadecanto@adl.org.br, pelo qual falará diretamente com a equipe organizadora.
12.3. Quaisquer informações sobre alterações na realização do evento serão passadas diretamente aos e-mails das pessoas inscritas, paróquias e publicadas nos grupos sociais e páginas da internet.


Serra Pelada-Afonso Cláudio, 07 de Maio de 2018.

Equipe organizadora da Semana de Canto
Departamento de música da ADL
Douglas Kalke

Promoção
Associação Diacônica Luterana - ADL

Apoio

Sínodo Espírito Santo a Belém - SESB

Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil

União Paroquial Guandu